Este é um blog que tem informações sobre a Educação Infantil.

Objetivo: ser mais uma ferramenta de apoio pedagógico para os professores os quais oriento pedagogicamente e por quem mais se interessar!

domingo, 24 de junho de 2012

Projeto Música na Educação Infantil


PROJETO DE INTERVENÇÃO

1. Identificação da instituição:
Escola Municipal Pedro Paulo de Castro. Situada a avenida Belarmino Martins Silva. Feira da Mata-BA.
2. Carga horária:
20 horas
3. Quem se torna responsável em aplicar o Projeto:
o pedagogo juntamente com os professores e com o apoio da direção.
4. Temática – conteúdo  
“Música na educação infantil

5. Introdução: 
Ao realizar o estágio de gestão na Escola Municipal Pedro Paulo de Castro, pude observar que as crianças gostam muito de música. Também pude perceber que muitos professores estão preocupados em incluir o trabalho com a música nas atividades realizadas em sala de aula, principalmente nas brincadeiras e que sabem da relevância de se trabalhar a musicalização. Mas, foi possível perceber ainda, que muitos encontram dificuldades para realizar esse trabalho.
Ao conversar com o pedagogo dessa instituição levantei questionamentos à cerca desse trabalho, fizemos então reflexões à cerca dessa temática, e o mesmo relatou que os professores ainda se sentem despreparados para desenvolver atividades que trabalhem o eixo música. O mesmo me sugeriu então que desenvolvesse um projeto que abordasse essa temática, na tentativa de auxiliar os professores no desenvolvimento junto às crianças, possibilitando assim um trabalho mais significativo com a música na Educação Infantil.

6. Justificativa:
.A Educação Musical é uma excelente ferramenta para o desenvolvimento de habilidades verbais, físicas, sociais, mentais e emocionais.
A “liberdade” de criar e adaptar é uma das características próprias da Educação Musical, através da qual as atividades tornam-se atraentes para as crianças que buscam a cada instante novas descobertas que lhes satisfaçam a curiosidade.
O corpo da criança é o ponto de partida para a Educação Musical, a voz da criança tembém é um um precioso instrumento.
A música deve fazer parte do cotidiano escolar como um dos elementos formadores do indivíduo. Portanto, o professor precisa saber observar quais são as necessidades de seus alunos e conhecer o desenvolvimento cognitivo de cada idade e suas potencialidades para que possa escolher atividades que venham de encontro com seus objetivos e realizar um trabalho interdisciplinar.
A música na educação, não deve ser usada apenas como experiência estética, mas como instrumento facilitador do processo de aprendizagem, como ferramenta para tornar a escola um lugar mais alegre e receptivo, possibilitando a ampliação do conhecimento musical do aluno, afinal a música é um bem cultural e seu conhecimento não deve ser privilégio de poucos.
A escola deve oportunizar a convivência com os diferentes gêneros, apresentando novos estilos, proporcionando uma análise reflexiva do que lhe é apresentado, permitindo que o aluno se torne mais crítico.

7. Objetivo geral:
Proporcionar às crianças oportunidades de viver e refletir em seu cotidiano sobre questões musicais, numa prática sensível e expressiva propiciadora de condições para o desenvolvimento de habilidades, de criação de hipóteses e de formulação de conceitos.

8. Objetivos específicos:
·           Identificar elementos da música como forma de expressão e interação com o outro, expandindo seu conhecimento de mundo;
·           Ampliar o conhecimento musical, compreendendo as caracteristicas do som, sua propriedades e possibilidades de atividades ligadas ás variadas formas de expressão artistica como a música;
·           Utilizar a improvisação, interpretação e composição  musical para identificar e expressar sensações, sentimentos e pensamentos.

9. Fundamentação teórica:
Muitas instituições de educação ainda trabalham a música, tendo como objetivo apenas formar hábitos, atitudes e comportamentos, fazendo uso da música para trabalhar a fixação de conteúdos, como datas comemorativas, letras ou números. Não podemos encarar a música como  algo pronto ou como proposta de reprodução, mas como uma linguagem cujo conhecimento se constrói.
A inclusão de crianças portadoras de necessidades educacionais especias, pode ser favorecida com atividades de musicalização, esse favorecimento se dá por meio de seu caráter lúdico e de livre expressão, não exerce pressões e nem cobranças de resultados é uma prática oferecedora do alívio e do relaxamento da criança, favorece a desinibição, possibilita o envolvimento social e desperta a apropiação de valores e de atitudes de respeito consigo e com o outro, oportunizando novas aprendizagens.
De acordo com os Referencias Curriculares Nacionais,

O trabalho com música deve considerar, portanto, que ela é um meio de expressão e forma de conhecimento acessível aos bebês e crianças, inclusive aquelas que apresentam necessidades especiais. A linguagem musical é excelente meio para odesenvolvimento da expressão, do equilibrio, da auto-estima e autoconhecimento, além de poderosomeio de integração social. (BRASIL, 1998.p. 49).

O ambiente fornece  estímulos sonoros à criança desde o nascimento, e ela reage a esses estímulos por meio do balbucio ou gritos como forma de manifestar sons. Com o passar do tempo, vai aumentando esse repertório sonoro que lhe permite se comunicar com o outro e com o mundo em que vive.
A Educação infantil deve propiciar ás crianças apropiação do conhecimento para praticar, reconhecer e descobrir o ritmo e o som de forma livre e organizada, partindo dos movimentos corporais e em seguida extra corporal: sons da natureza, sons do ambiente, sons dos instrumentos e eletrônicos e etc. Tornando-se um trabalho de desenvolvimento global que possibilita à criança utilizar suas capacidades para uma aprendizagem que respeite suas especificidades.
De acordo  com Penna, (1990, p.22), “[...] musicalizar é desenvolver os instrumentos de percepção necessários para que o indivíduo possa ser sensível a musica apreendê-la, recebendo o material sonoro/musical, como significativo”.

A música se concebe como um mundo que conjuga expressão de sentimentos, ideias, valores culturais e facilitadoras da comunicação do ser humano com o outro e como mundo no qual está inserido. Ao atender diferentes aspectos do desenvolvimento humano: físico, mental, social, emocional e espiritual, a música pode ser entendida como uma ponte facilitadora do processo educacional. Nesse sentido torna-se imprescindível que se faça necessária à sensibilização dos educadores para que os mesmos busquem despertar a conscientização quanto às possibilidades da música para favorecer o bem-estar e o crescimento das potencialidades dos alunos, pois, a música fala de forma direta ao corpo, à mente e às emoções.
As escolas precisam ter o cuidado para que as atividades musicadas realizadas pelas mesmas não tenham como meta formar músicos, mas de proporcionar através da vivência e compreensão da linguagem musical oportunidades de se abrir canais sensoriais, mediando à expressão de emoções, alargando a cultura geral e contribuindo para a formação integral do ser.
Nesse sentido Jeandot escreve,
(...) uma aprendizagem, voltada apenas para os aspectos técnicos da musica é inútil e até prejudicial, se ela não despertar o senso musical não desenvolver a sensibilidade. Tem que formar na criança o musicista, que talvez não disponha de uma bagagem técnica ampla, mas será capaz de sentir, viver e apreciar a música (Jeandot, 1993, p.21).

A música deve fazer parte do cotidiano escolar como um dos elementos formadores do indivíduo. Portanto o professor precisa saber observar quais são as necessidades de seus alunos e conhecer o desenvolvimento cognitivo de cada idade e suas potencialidades, para que possa escolher atividades que venham de encontro com seus objetivos e realizar um trabalho interdisciplinar.
O trabalho com a música na Educação Infantil, deve ser uma proposta de socialização em grupo e não apenas de formação de conteúdos acadêmicos, centrada no desejo de proporcionar a criança a experimentação de situações com as quais certamente no futuro irão se deparar no decorrer de suas vidas.
Portanto, ao trabalhar a música na escola é de fundamental importância que essa seja entendida como um agente facilitador do processo de desenvolvimento do ensino e da aprendizagem. Nessa perpesctiva, é necessário imbuir nos professores e em toda comunidade escolar a sensibilidade para despertar a consciência sobre oportunidades que a música oferece no favorecimento para a ampliação das potencialidades dos educandos, uma vez que ela fala diretamente, com o corpo, com a mente e com o campo emocional, entedendo assim a influência que essa provoca nos  diferentes aspectos do desenvolvimento humano.

10. Metodologia:
O pedagogo deverá reunir os professores na atividade complementar da escola, e fazer a leitura do projeto, explicando seu processo de criação e de execução. O mesmo deverá promover momentos de estudo à cerca da temática, orientar os professores, quanto às atividades propostas, bem como sobre a importância do mesmo, acompanhar diariamente o trabalho dos educadores, para que assim possa orientá-los, fazendo intervenções quando necessário e dando sugestões sempre que lhe for solicitado.
Após a execução do projeto deverá sintetizar a avaliação juntamente com os professores e direção, que será realizada por meio da observação, da reflexão e do diálogo, tendo como objeto as diferentes manifestações das crianças e educadores, buscando focalizar aspectos positivos do trabalho, bem como assinalar novas propostas de aprendizagem, a partir dos resultados obtidos.

Hora da roda: fazer  um círculo com as cadeiras e pedir as crianças para se sentarem, iniciar  uma conversa e explicar o projeto para elas, falar sobre as atividades que serão desenvolvidas e a importância da mesmas, através dessa conversa buscar saber qual o tipo de música mais ouvida no cotidiano delas, através do relato das crianças e também dos conhecimentos prévios do alunos em relação a música. Conversar sobre os instrumentos musicais e perguntar aos alunos quais os que eles conhecem, os que ja ouviram falar ou que já viram na tv.
Afixar na parede um cartaz com a letra da música Loja do Mestre André, ler varias vezes com eles em seguida perguntar quais os nomes de instrumentos aparecem na música, depois cantar a música com todos, após cantar algumas vezes, pedir que se levantem e ensinar-lhes a coreografia da música, daí então cantar e fazer os movimentos.
Apresentar figuras dos instrumentos musicais, utilizando um retroprojetor ou gravuras e fazer uma pequena explanação  sobre cada um deles. Utilizar os CD da coleção novos caminhos, que tem os sons dos instrumentos para que os alunos possam reconhecer o som de cada um deles, daí então pausar o Cd ao som de cada instrumento, para que os eles possam falar o nome daquele que produz cada som.
Formar grupos de quatro a cinco crianças e distribuir cartolinas, revistas, tesoura, cola e pincéis, para que elas recortem figuras dos instrumentos e que cada grupo faça o seu cartaz, após o termino de confecção dos cartazes levar os alunos para o pátio e pedir que fixem os seus cartazes nas paredes da escola para que toda comunidade escolar possa apreciar.
Sentar todos em carpetes e iniciar a roda musical, o professor num primeiro momento  irá cantar músicas com as crianças, num segundo momento abrir um espaço para que cada uma cante a música que mais goste. Orientar a todos para que fiquem de pé explicar o que será feito nesse momento e cantar fazendo a coreografia das músicas.
Distribuir os carpetes na sala, para  os alunos sentarem, dar inicio ao DVD com o vídeo Cadeiradas, do grupo Barbatuques, que pode ser baixado do youtube. Quando terminar de ver o vídeo fazer discussões sobre o mesmo. Após essa discussão orientar às crianças para produzirem diferentes sons utilizando o próprio corpo. Ex: bater palmas quando ouvir sons agudos, bater os pés quando ouvirem sons graves, pater no peito quando ouvir sons de longa duração, bater os dedos na palma da mão quando ouvirem sons de curta duração. logo após deixar que eles mesmos façam a percussão corporal criando seus próprios movimentos.
Hora da história, levar os alunos para  o pátio da escola, todos deverão sentar em círculo, o professor então iniciará a contaçao da história “visita ao papai urso”.
Era uma vez, um ursinho que foi visitar seu papai urso, ele morava lá do outro lado da floresta.
O ursinho começou a andar , andar... ( todos deverão estar sentados e batendo as mãos nas pernas, as batidas devem ser lentas para quando o ursinho andar devagar e aceleradas para quando ele andar rápido. Repetir esse movimento toda vez que o ursinho andar).
Andando na floresta o ursinho encontrou um rio ( fazer barulho da água), e o que ele fez? – Ele nadou, nadou, quando de repente olhou para o lado e viu um jacaré, assustado ele começou a nadar rápido , rápido, cada vez mais rápido( gesticular o nado), até chegou do outro lado todo molhado e começou a se sacudir até enxugar.
E o ursinho continuou andando, andando, andando, até que chegou a um milharal, começou a atravessar ( esfregar as mãos umas nas outras fazendo barulho), atravessou e então começou a se coçar todo, coçou, coçou até passou ( coçar todo o corpo).
O ursinho continuou andando, andando, andando pela floresta, aí ele viu uma ponte enorme que teria que atravessar, o ursinho ficou com medo, mas de repente ele ouviu o barulho de uma onçaaa, ele atravessou a ponte correndo. - vamos correr? Corre, corre, corre... (bater no peito com o punho cerrado para fazer o barulho dos passos na ponte).
Do outro lado da ponte ele avistou uma árvore, e subiu (gesticular com as mãos como se estivesse subindo na árvore). Olhou para ver se a onça tinha ido embora (fazer gestos de olhar para baixo). Já foi? Jáaa, então desceu (movimentos).
Como já estava cansando foi andando bem devagar , de repente ele avistou uma enorme montanha e ficou pensando no que fazer para chegar do outro lado, teve a ideia de voar, voou voou voou, só que apareceu um enorme gavião e ele voou cada vez mais rápido, ( movimentos de voo), chegou do outro lado e começou a descer.
Ele continuou andando ansioso para chegar do outro lado, olhou para ver se já avistava a casa do papai urso. Quando avistou a casa do papai começou a correr, correu,correu,correu até chegou.
Chegando na casa bateu na porta Toc, Toc,(bater na cadeira ou mesa), o papai urso abriu a porta( fazer barulho da porta abrindo), e o ursinho deu lhe um grande abraço e então eles fecharam a porta (novamente baruho da porta), e nós? ficamos do lado de fora. Até a volta do ursinho para a casa da mamãe.
Com os alunos sentado em círculo propor a brincadeira Nome das Notas Musicais, que é uma adaptação da brincadeira “batata quente”.
Em uma caixa decorada com as notas musicais colocar diversos nomes de música conhecidas das crianças, entregar a caixa a uma delas e explicar a brincadeira. Em seguida começar a parlenda: “Lá em cima do piano tem um copo de veneno quem bebeu morreu e o culpado não fui eu dó ré mi fá sol lá si dó si lá sol fá mi ré dó.
Todos devem cantar a primeira parte e um de cada vez falará o nome das notas no ritmo e vai passando a caixa de mão em mão, quem ficar com a caixa na última nota, abrirá a caixa e sorteará uma música que deverá ser cantada no centro da roda, podendo os outros colegas ajudarem quando algum não se sentir a vontade para cantar sozinho.
Se quiser pode acelerar o pulso para que a brincadeira se torne mais divertida e dinâmica.
Escolher uma música de interesse dos alunos, ouvir sua gravação, e depois cantá-la alternando a voz em grave, aguda, rápida, lenta.
Distribuir folhas de papel A4, canetinhas coloridas, lápis de cor e solicitar que façam a ilustração da música ouvida. Depois afixar os desenhos no mural da sala de aula, possibilitando que todos possam apreciar os trabalhos uns dos outros.
Convidar os pais para irem passar o dia na sala de aula com seus filhos, solicitar à aqueles que tenha algum instrumento que o  traga.
Formar uma grande roda no pátio da escola (que poderá ser feita com os pais de todos os alunos da escola), e conversar com as crianças sobre a presença deles na escola naquele dia, fazendo questionamentos à cerca dos instrumentos que eles trouxeram, em seguida fazer a organização para que cada  pai possa tocar seu instrumento.
Pedir aos pais que ajudem as crianças no manuseio dos instrumentos explicando a eles sobre cada um.
Após o término da exploração, dar inicio a uma apresentação musical de voz e violão com um cantor da comunidade ou região,que pode ser um pai,  buscando a participação de todos para cantar.
Encerrar com a distribuição de salgados e refrigerantes a todos os envolvidos no projeto.
Materiais:
CDs de músicas infantis, CD player,  ficha de avaliação e os instrumentos musicais, aparelho de som, papel A4, cartolinas, canetinhas coloridas, lápis de cor,tesoura, cola, DVD, revistas, carpetes, cola, retroprojetor, gravuras, fita adesiva,caixa, E.V.A.

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES:
Atividades

segunda-feira
terça-feira
quarta-feira
quinta-feira
sexta-feira
Orientação  do projeto pelo pedagogo aos professores
      X




Acompanhamento do projeto pelo pedagogo
      X
    X
    X    
    X
    X
Apresentação do projeto
      X




Música mestre André
      X




Conhecendo os Instrumentos musicais

    X



Confecção de cartazes

    X



Roda musical

    X



Dança

    X



Apreciação de vídeo


    X


Percussão corporal


    X


Hora da história


    X


Dinâmica das notas musicais



    X

Apreciação musical



    X

Desenho



    X

Participação dos pais




    X
Show de voz e violão




    X
Avaliação do projeto
    X
    X
    X
    X
    X
Sintetização da avaliação



X


CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO:

      A avaliação deve acontecer através da observação e registro do envolvimento e da participação da turma durante as aulas, levando em conta os processos vividos, discussões e tarefas solicitadas, questionamentos individuais e coletivos, para perceber o envolvimento e a aprendizagem. Constiuindo-se numa feramenta para a readequação de objetivos, conteúdos, procedimentos e atividades e também de acompanhamento e conhecimento das crianças.

     





























REFERÊNCIAS:

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Secretária de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/ SEF, 1998.

JEANDOT, Nicole. Explorando o universo da Música. 2 edição, Scipione. São Paulo, 1993.

Música, Movimento e Artes Visuais.-1.ed.-São Paulo : DCL, 2006.2006. –(Coleção novos caminhos: formação continuada na sala de aula/ coordenação Aline Corrêa de Souza, Lucila Soares P. Ferraz)

PENNA, Maura. Reavaliações e buscas em musicalização. São Paulo: Loyola, 1990





Nenhum comentário:

Postar um comentário